Transtorno Bipolar

Transtorno Afetivo Bipolar

Alteração abrupta do humor, muitas vezes em questão de horas, NÃO é necessariamente quadro de bipolaridade em termos psiquiátricos. Todo mundo pode acordar com pé esquerdo e depois ficar feliz durante o dia, ou ter semanas mais tristes e semanas mais animadas e todas essas alterações são mudanças fisiológicas NORMAIS do ser humano. Ninguém consegue permanecer triste ou feliz constantemente se não for de forma patológica.

O Transtorno Afetivo Bipolar (TAB) é uma doença psiquiátrica considerada grave, que provoca mudanças de intensidade e durações marcantes no humor do indivíduo. Caracteriza-se por fases de oscilação de ânimo com duração mínima de 2 semanas cada episódio (depressivo ou maniforme), que vão desde uma super excitação, até a depressão, além de mudanças na energia, no comportamento e no ciclo cicardiano de forma extrema.

Os sintomas do TAB podem ser agrupados em: episódios depressivos, episódios de euforia (mania) e episódios mistos.

Episódio Maniforme (Mania)

Na fase de Mania, o indivíduo apresenta muita energia para desenvolver suas atividades diárias, agitação, irritabilidade, comportamento impulsivo, diminuição da necessidade de dormir  e sentir-se “muito bem”; pensamento e fala acelerados, otimismo exagerado, aumento da autoestima, impulsividade, elevado interesse sexual e consumismo excessivo. Trata-se de um quadro muito intenso, de duração de ao menos 2 semana, e que pode trazer muitos prejuízos físicos, financeiros e sociais para o indivíduo e seus familiares.

Episódio Depressivo

Na fase de Depressão, é comum o bipolar manifestar sentimentos de profunda tristeza, culpa, sensação de vazio, desânimo, pessimismo, cansaço, redução da libido, falta de apetite e até mesmo pensamentos suicidas. É um quadro muito semelhante à depressão simples, porém com maior intensidade.

Estado Misto

No Estado Misto, o indivíduo pode experimentar, ao mesmo tempo, sintomas depressivos e maníacos. É comum sentir-se desesperançoso, deprimido, sem estímulos prazerosos e, ao mesmo tempo, inquieto, com muita energia, pensamento e fala acelerados. Em geral, é um quadro que causa muito sofrimento.
Diagnóstico do Trantorno Afetivo Bipolar

O diagnóstico é feito através de uma anamnese minuciosa realizada pelo psiquiatra. Muitas vezes o diagnóstico de bipolaridade não se conclui em uma consulta, necessitando de um acompanhamento mais prolongado para melhor elucidação do caso.

Apesar de o diagnóstico ser realizado pela avaliação clínica, em muitos casos, é importante a solicitação de exames para descartar outras doenças que podem causar sintomas semelhantes ao TAB, como alterações hormonais, tumores cerebrais, infecções, entre outros.

Tratamento do Transtorno Afetivo Bipolar

O tratamento se dá com tipos de medicações chamadas de Estabilizadores de Humor.

Tais medicações possuem o objetivo, como o próprio nome diz, de deixar o indivíduo mais próximo da estabilidade, do equilíbrio, sem oscilar entre a depressão e a mania. É importante saber que essas medicações não causam dependência e, atualmente, existem várias opções diferentes de estabilizadores. O tipo de estabilizador deve ser escolhido com base nos sintomas e no histórico de casa indivíduo, sempre com o objetivo de se alcançar a estabilização do humor com as menores doses e com os menores efeitos colaterais possíveis.

A psicoterapia também tem um papel muito importante no tratamento. Ela ajuda o paciente a conhecer seus padrões de humor e fatores associados à ciclagem, ou seja, a alterações bruscas no seu estado de ânimo. Assim, auxilia na manutenção da estabilização de humor por longos períodos.

Dicas para estabilizar o quadro bipolar:

  1. Sempre manter o sono adequado. O primeiro sinal de instabilização e possível início de fase maniforme é a diminuição da necessidade de dormir.
  2. Nunca parar a medicação sem recomendação psiquiátrica.
  3. Cuidado com medicações que emagrecem ou que estimulam o metabolismo. Sempre pergunte ao seu psiquiatra se há interação com o tratamento.
  4. Cuidado com diarreia ou vômitos frequentes. Eles podem diminui a concentração do estabilizador do humor.