Obesidade e Psiquitria

Tratamento da Obesidade & Psiquiatria

Quando há ganho de peso sempre analisamos o balanço energético do indivíduo e os fatores externos que estejam favorecendo ou prejudicando o metabolismo, ou simplificando, o balanço entre o quanto se gasta e o quanto de energia é retida.

A dieta interfere diretamente no quanto de energia é absorvida e posteriormente armazenada. Pessoas com dificuldade em manter uma restrição calórica pode estar sofrendo de Transtornos Psiquiátricos como Ansiedade, aumentando a frequência do “petiscar”, ou de Compulsão Alimentar, aumentando a quantidade de comida ingerida em uma refeição. Em ambos os casos não adianta somente passar na nutricionista ou no endocrinologista pois o hábito alimentar está comprometido devido outro transtorno, não dependendo somente da vontade própria do paciente em seguir a dieta.

Muitas vezes, no entanto, o paciente está realizando uma dieta rigorosa, e não perde peso. Isso ocorre principalmente devido ao baixo gasto de energia e aos fatores fisiológicos que favorecem o armazenamento da energia ao invés de estimular o seu gasto.

Gasto de energia está diretamente relacionado com a quantidade de atividades que você realiza durante o dia. Transtorno tireoidiano como hipotireoidismo pode afetar na falta de energia e consequente diminuição das atividades físicas, assim como alguns transtornos psiquiátricos como a Depressão. Isso faz com que o seu ritmo fique mais lentificado, aumentando o tempo que fica parado e consequentemente diminuindo o gasto calórico.

É necessário que seja averiguado cada caso minuciosamente para encontrar o fator perpetuador para o ganho ou não perda de peso. Não adianta, portanto, simplesmente exigir uma dieta rigorosa ou atividade física rigorosa para todos os pacientes sem analisar todo o funcionamento fisiológico do seu organismo.

Tratamento

Existe uma série de medicações estudadas e utilizadas no tratamento da obesidade. Elas podem ser divididas em medicações que “atacam” o comportamento alimentar, e medicações que aumentam a energia e consequentemente o gasto calórico. O médico especialista é o único profissional capacitado para avaliar qual é a melhora estratégia medicamentosa para cada paciente. Sempre lembrando que é necessário tratar as doenças de base não só clínicos mas psiquiátricos para melhor eficácia na redução e manutenção do peso ideal.

Dicas para Projeto perda de peso

  1. Tenha uma alimentação variada. Procure comer sempre hortaliças e frutas!
  2. Não se alimente sem sentir o gosto. Saboreie a comida, mastigue lentamente, em pequenas “garfadas”, e sempre largue os talheres entre as bocadas. Coma devagar e mastigue bem. Ao terminar de comer você estará mais satisfeito.
  3. Não faça outras atividades enquanto está comendo. Isso causa perda no controle da quantidade ingerida.
  4. Diminua a fome exagerada comendo alimentos mais azedos (picles, limão, laranja, vinagre como tempero).
  5. Iniciar uma atividade de pequena intensidade geralmente logo após o café da manhã. Isso aumenta a sua energia durante o dia.
  6. Reserve um tempo no final do dia para relaxar. Isso diminui a ansiedade e consequentemente a frequencia e quantidade de comida ingerida.